TAG: 6 livros para ler em um dia


2014 está chegando ao seu fim e você ainda não cumpriu sua meta de leitura? Eu te dou 6 seis dicas de leituras rápidas, mas que são imensamente importantes para o intelecto. Vem conferir!

1. Carta ao Pai - Franz Kafka

Aos 36 anos, Kafka inconformado com sua relação paternal resolve escrever uma carta expressando tudo aquilo que lhe angustiou na infância e, posteriormente, na vida adulta. Tal carta, nunca foi entregue ao destinatário. Kafka direciona-se ao pai como ''tirano'' e ''rei''. 
No decorrer da leitura, percebe-se que o pai minou-lhe a autoestima, transformando-o em uma pessoa acanhada e introspectiva.
Todo o drama envolto da carta é emocionante. As palavras de Kafka deixam o leitor indignado com as atitudes do Grande Ditador. 
''Esse sentimento de nulidade que me domina com frequência (um sentimento que, aliás, visto por outro ângulo pode ser bem nobre e produtivo) surgiu em boa parte por causa da tua influência.''


2. Lord Edgware Dies - Agatha Christie 

É claro que a rainha do crime não poderia ficar fora dessa lista. A tradução desse livro ficou ''Treze à mesa'' (foi lançado pela editora Nova Fronteira).
Mais um enigma policial brilhante que somente o detetive Hercule Poirot é capaz de solucionar. Como todo livro da Agatha, o final é surpreendente! Eu, por exemplo, nunca consegui desvendar o verdadeiro culpado.
A morte do Lord Edgware é facilmente desvendada, porém, essa simplicidade deixa o detetive com um pé atrás da orelha e logo passará a investigar minuciosamente o desfecho do crime.
Não posso me alongar muito, pois será spoiler. Então fica ai a dica de mais um livro misterioso e inaudito da maravilhosa Rainha do Crime.

                                                           
   3. A revolução dos bichos - George Orwell

"Todos os bichos são iguais, mas alguns bichos são mais iguais que outros." 
A intenção de Orwell nesse livro era fazer um paródia da trajetória da Revolução Russa. Mas, o livro vai além disso: pode ser ligado a muitos temas de qualquer lugar e época, uma vez que retrata a ganância, a corrupção e o controle da mídia. 
Tudo começa quando os animais da fazenda Granja do Solar revoltam-se contra os seus donos, uma vez que estavam cansados de serem explorados. Sendo assim, baseiam-se no lema: ''Quatro pernas bom, duas pernas ruim''.
No entanto, nem tudo sai como era o planejado. Os porcos - que são os animais astuciosos da fazenda - passam a ter certos privilégios e, aos poucos, tornam-se déspotas. Vale a pena conferir o desenrolar da história, escrita de forma sarcástica e brilhante pelo George Orwell.

4. A hora da Estrela - Clarice Lispector  
Esse é, sem dúvidas, um dos livros mais lindos que li na vida! Clarice, como ninguém, consegue tocar a alma do leitor de maneira que faz você sentir tudo aquilo que a personagem está passando.
O livro conta a história de Macabéa, uma jovem que ao perder a mãe vai para o Sudeste tentar melhorar de vida. Contudo, Macabéa é uma pessoa singular: não tem consciência da sua existência e sua única válvula de escape no mundo é ouvir a Rádio Relógio.
Todas as incertezas e frustrações que permeiam a vida da personagem criam um elo com o leitor. Não há pessoa no mundo que não goste de Macabéa.
''Sim, minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem das grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.''


                                                                
5. O que faz o brasil, Brasil? - Roberto DaMatta

DaMatta explana nesse livro um apanhado de questões que a antropologia brasileira e do Brasil, vem lidando. (parece a mesma coisa, mas há uma diferença entre Antropologia NO Brasil e Antropologia DO Brasil).
De maneira simples e sucinta, o antropólogo expressa bem o caráter denso da realidade brasileira. Afinal, o que é o Brasil?
Para responder tal questão, DaMatta faz um levantamento histórico-antropológico dos pequenos gestos, hábitos aparentemente inocentes que passam despercebidos no dia-a-dia do brasileiro. E, ainda, as festividades do país: Carnaval, o Dia da Pátria e as procissões - todos esses aspectos elucidam um quadro social e cultural complexo.
Essa sim é uma obra imprescindível para o leitor apaixonado por história e/ou antropologia. 
''As sociedades e os grupos fazem coisas parecidas. E a memória social (isso que vulgarmente se chama de ''tradição'' ou ''cultura''), que é sempre feita de uma história com H maiúsculo, é também marcada por meio desses momentos que permitem alternâncias certas entre o que foi concebido e vivido como rotineiro e habitual e tudo aquilo que foi vivenciado como crise, acidente, festa ou milagre. Pois o homem é o único animal que se constrói pela lembrança, pela recordação e pela ''saudade'', e se ''descontrói'' pelo esquecimento e pelo modo ativo com que consegue deixar de lembrar.''

6. A morte de Ivan Ilitch - Lev Tolstói

''A descrição de uma aldeia é a história do mundo''. Talvez uma das frases mais famosas do autor, explica perfeitamente sobre o que esse livro se trata. 
No decorrer da leitura, o leitor se depara com o mundo burguês/judiciário da Rússia do século XIX. Ivan Ilitch, após anos trabalhando com afinco, alcança uma vida estável - do ponto de vista econômico.
Porém, tal estabilidade não dura muito: Ivan Ilitch se vê gravemente doente e a partir desse momento sua vida muda por inteiro. 
A doença lhe trouxe, além da dor física, a dor moral. Isto porque o protagonista enxerga a futilidade e o vazio que lhe rodearam a sua vida inteira.
Não posso me alongar muito sobre esse livro, pois acredito que somente quem o lê é capaz de entender como uma dor pode também tornar-se uma bênção.
''O doutor dizia que os sofrimentos físicos dele eram terríveis, e dizia verdade; mas os seus sofrimentos morais eram mais terríveis que os físicos, e nisso consistia a sua tortura maior.''



Espero que tenham gostado da TAG. Até a próxima!